Um agradecimento a Pinto da Costa!

De como somos grandes.

Este fim de semana o Porto lá ganhou a Taça. E mais uma vez, como acontece sempre que conquista algum título, uma boa parte da massa adepta do FCP mostra que continua com o seu recalcamento de sempre. O mesmo que levou Pinto da Costa a sugerir, vermelhíssimo, que a final da Taça "devia era ser na Luz". Ai é que eu gostava, disse PC.

O recalcamento de quem festeja vitórias insultando um adversário é em si mesmo um acto de prestação de vassalagem involuntária a um clube que é, e será sempre, maior.

E a frase de PC, dita em delírio de tetra, só mostra que não mudou nada. Pode tirar-se a pessoa da lama, mas não se tira a lama das pessoas.

É que ele sabe (e como lhe dói até hoje!) o que é perder uma final da Taça de Portugal em casa, após meses de uma birra semelhante aquela que o FCP voltou a ensaiar este ano, sobre o local da Final. E acha que, se disputasse uma final na Luz, essa humilhação seria vingada. Mas não. Por isto: o Benfica, por norma, não perde finais da Taça, frente ao Porto, nem mesmo jogando na casa do adversário. E depois, nunca aceitaria jogar uma final da Taça na Luz. Uma questão de princípio.
Pedro Ribeiro, in Tertúlia Benfiquista

Estava para escrever algo muito parecido. No entanto, e como ter um texto de alguém como Pedro Ribeiro, pessoa que admiro, fica bem em qualquer blogue, uso as suas palavras para dizer o que já muitos - inclusive os portistas - sabem e outros tantos querem escamotear: O FC Porto e o seu complexo de inferioridade perante o glorioso, o Benfica! Só assim se explica de nas vitórias e derrotas, em cada suspiro de vida daquele clube, que, também por isso, não deixa de ser regional, a necessidade de comparação ao Benfica. O meu clube nada tinha a ver com a Final da Taça de Portugal, o presidente daquele clube fez questão de lembrar a todos a existência do único clube incontornável do país, do maior clube nacional, o Benfica! Obrigado, homem!

P.S. Parabéns pela vitória sobre o Paços de Ferreira. Mais uma década seguida a vencer e colam-se ao Benfica em vitórias na competição. Ena, ena...

E se o Pl@ka falou...tá falado!

4 Comentários:

Pulha Garcia disse...

O mais importante ninguém diz. É que os títulos conquistados pelo fóculporto sob administração de Pinto da Costa não deveriam ser reconhecidos ou sequer contabilizados. Quem é condenado por tentativa de corrupção desportiva não deve ter títulos reconhecidos.

Na minha opinião, claro.

Saudações de glória

Nuno M. S. Aleixo disse...

Amigo, é a opinião de muitos, tantos!
Mas, neste país é utópico pensar nisso...

Grande abraço!

Dylan disse...

"Tiques provincianos"

A constante provocação do presidente do FCP em querer mudar o local da final da Taça de Portugal é só comparável à detestável obsessão que sente pela cor encarnada, esmagadoramente maior. Todos sabemos que o Estádio Nacional poderá não reunir todas as condições necessárias para eventos desta grandeza mas porventura não quererá o portista realizar a final no seu estádio, à semelhança do que fez na década de 80, à maneira cacique? Existem lugares que pelo seu misticismo e pela sua festa popular espontânea devem permanecer incólumes a qualquer ataque que espelhe o exacerbado provincianismo incendiário. Aliás, quando se vê os seus apoiantes a assobiarem o hino nacional e a festejarem vitórias insultando o adversário, já se percebe como uma pessoa condenada pela justiça desportiva continua a gozar de total impunidade neste País da treta.

http://dylans.blogs.sapo.pt/

Nuno M. S. Aleixo disse...

Caro Dylan, as acções dos adeptos daquele clube e as declarações do seu presidente, em qualquer país civilizado seriam criticadas e até castigadas. Declarações de índole sectarista, como as que fazem alusão a Marrocos e outras que fazem as delícias dos jornaleiros, em muitos países seriam castigadas, aqui são aplaudidas. É um país que idolatra a chico-espertice! É um país que idolatra a Felgueiras, o grunho de Marco de Canaveses, o Isaltino e o ditador da Madeira. Adoro Portugal, detesto a mentalidade que ainda persiste na gentinha (que julgo cada vez ser em menor número) deste país. Um dia isto muda...

Abraço!

top