Estou a ficar velho...

Um dos hábitos que tenho é ouvir as manhãs da Comercial. Predispõe bem. Pedro Ribeiro e a sua equipa conseguem animar-me naquela altura do dia (antes de tomar o meu terceiro café) em que estou mais mal disposto.

A “Caderneta de Cromos” de Nuno Markl é sempre algo que me recorda a minha juventude e não são raras as vezes que dou por mim com um sorriso parvo na boca, a rir-me sozinho, fazendo figuras tristes (nada de anormal em mim) perante quem se cruza comigo. Hoje a rubrica relembrou o "Jogo do Alho", esse jogo que pratiquei tanta vez. O grito: “ Lá vai alho!”, foi gritado tanta vez por mim antes de “esmagar” as costas dos meus colegas de turma… Fantástico!

O que queria destacar ao escrever sobre estes jogos que os da minha geração usaram para se divertir é o facto de termos chegado “aos trinta” e estarmos vivos! Ao lembrar-me do “Corredor da Morte”, de jogar ao “Mata” em que as bolas “rebentavam” por todo o nosso corpinho, das guerras de pedras entre escolas, dos joelhos esfolados pelo alcatrão onde jogávamos à bola, das cabeças partidas, das brincadeiras a roçar a violência e pura parvoíce que eram habituais em épocas como o Carnaval, noto que tanto mudou nos hábitos dos jovens de agora.

Actualmente, basicamente, os jovens são… bem comportados! Que enfado! As crianças/jovens de agora são uns totós! Hoje qualquer miúdo que pegue numa pedrinha minúscula e a atire é um vândalo, qualquer adolescente que apalpe uma colega mais roliça, que passe por ele com os glúteos a abanar é um pervertido, logo castigado pelo colégio, pelos progenitores e fica com tratamento psiquiátrico até ser um homenzinho! E eu penso: “Camandro, não havia dia, que ao subir as escadas que davam acesso à sala de aula, em que eu e os meus colegas não apalpávamos duas ou três mocinhas mais bem fornecidas de nádegas". Ao que se seguia a tentativa, por vezes conseguida, de um belo de um chapadão no trombil, como resposta delas. Outra prática, menos habitual, acontecia em dias de aula de Educação Física, aproveitando os elásticos lassos dos fatos de treino, fazíamos a bela da “Amostra”! As nossas colegas ficarem em reduzidas cuequinhas... Cool! Agora, que revivo estes tempos, lembrei-me que bastas vezes também se invadia os balneários do pavilhão onde as catraias se trocavam para a referida disciplina. Também acontecia o contrário, a invasão do balneário masculino, mas isso foi uns anitos mais tarde, quando as moças ficaram mais espevitadas! E pegarmos naqueles colegas mais nerds e espetarmos com eles dentro dos caixotes de lixo?

Those whore the days, my friends…

Putos e adolescentes de hoje: Sois uns coninhas, pá!

E se o Pl@ka falou...tá falado!

2 Comentários:

slbcarlitos disse...

Tchiiiiii que sôdades desses tempos. Sou mais novo do que tu, mas ainda sou do tempo em que brincadeira era guerra de calhaus em que volta e meia alguém saia com ela rachada a escorrer sangue que era uma beleza. Isso e as célebres batalhas campais em que valia tudo menos tirar olhos!!!

Quanto às mocinhas tenho uma imagem bem presente em que enquanto os marmanjos jogavam à bola elas num patamar mais elevado levantavam as saias e depois tínhamos que ouvir por destrairmo-nos do jogo! EhEhEh

Hoje em dia, penso que a grande culpa nem é dos catraios que se pudessem faziam o mesmo. O problema é dos pais!!! Agora qualquer coisa é desculpa para meter os putos num psicólogo. Os locais dos recreio já não podem ser em areia ou pedra porque os meninos chegam a casa todos sujos ou com dói-dói. Etc, etc,...

Resumindo, cada vez mais estão a ser criados putos mimados mal preparados para a vida. Fod@#§& os putos agora nem sabem o que é ir aos grilos ou montar uma cabana de madeira em cima de uma árvore!!! Só sabem o que é pokemones e playstations! E são todos uns caixas-d'óculos que choram por tudo e por nada!! Baaahh quando tiver o meu puto, mal faça 3 anos, vou levá-lo à caça e ensiná-lo a pescar!!

Nuno M. S. Aleixo disse...

slbcarlitos não podia estar mais de acordo contigo!

E eu tenho uma filha de 7 anos e naturalmente quero que ela seja educada com valores e princípios, mas não com minhoquices! E veja tanta mariquice hoje na educação dos putos!

Porra! Como tu dizes: estão a ser criados putos mimados mal preparados para a vida. E são todos uns caixas-d'óculos que choram por tudo e por nada!!

Grande abraço!

top