Odeio incomodar, mas continuo sem estar preocupado!



Na segunda-feira escrevi isto:
Este jogo era, na minha opinião, o jogo mais importante a ganhar esta semana. Eu sei que na próxima quarta-feira, jogamos com o Lyon, em jogo a contar para a Champions, e desculpem o meu pragmatismo, prefiro garantir a passagem à eliminatória seguinte de uma competição que posso ganhar. O jogo da Champions é bonito, é prestigiante, rentável e isso tudo, e sim, era bom passar a fase de grupos e tal... E depois? Existe algum benfiquista que acredite, verdadeiramente, que o Benfica possui mais que uma ténue hipótese de ganhar esta competição? Ganhar a Champions acontece, mas são poucas as ocasiões em que a final é frente a "colossos" como o Mónaco...

Assim, tenho orgulho em que o Benfica lá esteja entre os maiores, mas prefiro consolidar o hábito de ganhar a nível nacional. Ganhar tudo em Portugal, consolidar o domínio a nível interno e só depois "atacar" a nível europeu. Vejo estes jogos, os da Liga dos Campeões, como bónus, tudo o que vier, prestígio, dinheiro e motivação é bom. Se perdermos, não esquecer que o adversário é uma excelente equipa (embora a fazer péssimo campeonato francês), é seguir concentrado no principal objectivo e esse é: Ganhar tudo em Portugal.

Hoje, durante o intervalo do jogo desta noite, em Lyon, a minha timeline do Twitter rebentava com palavras como humilhação, vergonha, goleada, ridículos e nódoas… Curiosamente, ou talvez não, estas expressões eram usadas por benfiquistas, daqueles dos bons, nada da carneirada parola onde eu, dizem-me, me situo no universo benfiquista.

Naturalmente, estes benfiquistas estariam convencidos que o Benfica teria grandes hipóteses de ganhar a Liga dos Campeões, provavelmente será isso. Eu sou benfiquista, embora seguidista e essas coisas, mas continua a conseguir raciocinar e se considero que o Benfica continua a possuir equipa, plantel e treinador para ganhar todas as competições em Portugal, sei que não tem classe, traquejo e categoria para ganhar na Europa. Ainda não tem. E isso não me preocupa. O Benfica ainda não domina o futebol intra-muros como pode dominar lá fora? Porque será que os benfiquistas revelam tamanha falta de clarividência? Não sei e, sinceramente, não me interessa. 

Porque não fazem um pouco de pesquisa e contam quantas épocas seguidas, leva o Lyon a jogar ao mais alto nível na Champions? E o Benfica? Vejam quantos jogos na Champions, tem a maioria dos jogadores do Lyon ou do Schalke 04 nas pernas e comparem com os do Benfica. Porque não contam os jogos de competições europeias em que Puel e Magath se sentaram no banco e comparem com os de Jesus. Comparem os milhões que custaram os jogadores do Lyon, mas os que se sentaram no banco, com o preço do onze principal do Benfica. Terão uma desagradável surpresa. Estes factos respondem a tudo? Claro que não, mas explicam tanto. 

Porque será que os benfiquistas não revelam um pouco de paciência e apoiam este projecto para que daqui a um par de anos, ganhando em Portugal (se nos deixarem) possamos começar a almejar chegar longe na Europa? Não digo ganhar uma competição europeia, porque tal acontecer é dificílimo, mas digo poder pensar, efectivamente, em disputar até aos jogos decisivos uma taça europeia e com um pouco de sorte ganhá-la? Será tão complicado perceber isto? O problema está em mim, certamente…

Não estou preocupado. Nada. Quero é ganhar ao Portimonense! Isso, sim, preocupa-me.

Ainda assim, falemos um pouco do jogo desta noite e do que há a melhorar nesta equipa.

Boa entrada do Benfica (já o tinha feito na Alemanha), até ao lance que decide o jogo. Carlos Martins, que está a realizar uma excelente época e começara bem o jogo, tem uma perca de bola infantil no meio campo defensivo e o resto foi a qualidade técnica, velocidade e categoria dos jogadores do Lyon. Pouco depois, Gaitán perde a bola, de novo, junta à área benfiquista e é obrigado a cometer falta que lhe vale o segundo amarelo (se na Liga portuguesa os árbitros utilizassem este critério, haveria 90% das equipas que terminariam os jogos com oito ou menos jogadores em campo) ficando o Benfica a jogar com dez. 

No recomeço do jogo, Jesus mostra falta de traquejo e comete o erro de manter Saviola (mais um péssimo jogo) em campo e não reforça o meio campo dificultando assim a esperada “cavalgada” francesa em busca do segundo golo. E o golo francês surge mesmo. 

Fala-se muito das transições ofensivas deste Benfica, sempre em comparação com as da época passada. Geralmente apontam-se as ausências de Di Maria e Ramires, esquecendo um pormenor, na minha opinião, com muito mais importância. Para fazer as ditas transições é preciso passar bem a bola, não falhar passes, algo que acontecia a época passada. Esta época são muitos os jogos em que os primeiros passes da transição ofensiva são falhados, que para além de impossibilitarem a saída para o ataque, apanham a equipa a começar a subir no terreno. Hoje, isto, infelizmente, aconteceu demasiadas vezes e se em Portugal pode não ser preocupante, equipas como o Lyon não perdoam. Revejam o jogo e contem os passes falhados e depois falem-me de Di Maria e Ramires

Jesus falhou. Teve coragem, mas por vezes coragem e estupidez andam de mãos dadas. Com um pouco de sorte a “coisa” pode resultar, mas quase sempre dá mau resultado. Jesus foi anjinho. Deveria ter sido pragmático e talvez tivesse saído de Lyon com um outro resultado.

Para terminar deixem-me dizer isto: Roberto foi simplesmente BRI-LHAN-TE! Como tem vindo a acontecer, o guarda-redes espanhol defendeu quase tudo e, em certas ocasiões, de forma espectacular. Fica na retina as três defesas consecutivas a remates de jogadores do Lyon. Um dia, prometo, falarei de Roberto, mas por agora vou lembrando os violentíssimos comentários às exibições do espanhol na pré-época e primeiros jogos da Liga. Curiosamente, ou talvez não, eram comentários dos mesmos benfiquistas que falei ali em cima… 



5 Comentários:

slbcarlitos disse...

Mais uma vez ssubscrevo inteiramente a tua opinião (chega a ser assustador como concordo contigo em quase 101% das vezes).

Escrevi ainda ontem no twitter que o Benfica perder com o Lyon seria a coisa mais natural do mundo por terem melhores jogadores e jogarem em casa. Não trocava uma vitória contra o Portimonense pela vitória frente ao Lyon.

E tal como disse depois da derrota frente ao Schalke, esta derrota na Champions dá-me a certeza de vitória no domingo.

O único objectivo do Benfica esta época deve ser o campeonato. O bicampeonato dará uma forte machadada no sistema e isso vale muito mais do que oitavos, ou até mesmo quartos e meias finais de champions.

Espero que a direcção, equipa técnica e jogadores pensem como eu.

Abraço

NPimenta disse...

Se me permites, como seguidor atento deste blog, 2 comentários:
- Roberto: enorme! Até algumas impossíveis foi buscar. Já está a calar muita gente. Fui daqueles que duvidou (não da qualidade mas do preço). Mas estou rendido.
- Um passo de cada vez. Primeiro ganha-se em Portugal para depois ganhar lá fora. É assim que se faz. É assim que o Benfica está a fazer.

Nuno M. S. Aleixo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno M. S. Aleixo disse...

slbcarlitos não és tu que concordas comigo, ambos temos a mesma opinião e é só isso.

Trata-se de viver o Benfica de uma certa forma. e entender alguma coisinha de futebol...

Grande abraço!

Nuno M. S. Aleixo disse...

NPimenta obrigado por seguires este blogue, por vezes continuo a surpreender-me com o facto de outras pessoas se darem ao trabalho de me ler.

Quanto a resto concordo em absoluto com a excepção de Roberto que como tu sabes defendi desde o primeiro minuto e não era por simples intuição. Um dia eu conto a história...

Abraço!

top